CATEGORIAS

A história da bolsa feminina

É comum sair pelas ruas e encontrar grande parte das mulheres com uma bolsa ao ombro. A história desse acessório tão comum remete à pré-história. Afinal, foi a solução que os povos nômades encontraram para deslocar suas comidas. Há também gravuras em pirâmides egípcias que mostram pessoas levando sacos amarrados à cintura.

bolsa de couro ombro

 Antes da típica bolsa de couro de ombro, há                 versões que datam desde a pré-história.

A bolsa na Idade Média

Durante a Idade Média, as bolsar eram utilizadas por homens e mulheres como forma de carregar seus pertences. Entretanto, naquele tempo, era comum que houvesse uma diferenciação pelo tamanho, onde o homem carregava uma peça maior que a mulher.

A bolsa na Revolução Industrial

Antes da Revolução Industrial, as bolsas eram acessórios meramente funcionais: existiam porque havia a necessidade de carregar objetos. Nesta época, com as indústrias e o comércio buscando lucro, o cenário da moda em geral mudou drasticamente: a estética ganhou um papel importante. Marcas e tendências da moda começam a surgir e a bolsa passa a ser parte importante, principalmente do guarda-roupa feminino.

Chatelaines

O século XIX foi uma época de muita inovação no quesito bolsas. Primeiramente, a princesa Alexandra popularizou o uso das chatelaines. Pequenas, delicadas e com motivos medievais, eram levadas amarradas à cintura. Tiveram um forte impacto na moda.

Reticules

Nascem também nesta época as reticules. Diferentemente da bolsa de couro atual, eram feitas de um tecido similar a uma rede e, assim como as chatelaines, eram pequenas. Serviam para transportar objetos com cartões de visitas, leque e lenços.

Por fim, com a facilitação e aumento da popularidade e conforto das viagens, versões em miniatura dos baús de viagem da época passaram a ser desenvolvidas. Era um modelo similar à bolsa de couro de ombro dos dias de hoje: tinham vários bolsos e incluía um compartimento especial para guardar a passagem.

É também neste período que surge o termo em inglês “handbag”, ou “bolsa de mão”, usado até hoje.

A bolsa no século XX

Ao longo do século XX, o design das bolsas adaptou-se às mudanças na cultura e no papel feminino na sociedade. O crash da bolsa de Nova Iorque em 1929, por exemplo, afetou fortemente os modelos de bolsas disponíveis na década de 1930: com um menor poder aquisitivo, fabricantes adotaram materiais mais em conta, como plásticos, para criar bolsas.

Já na década de 40, com a falta de algumas matérias-primas no pós-Segunda Guerra Mundial, a indústria teve que usar a criatividade na fabricação de bolsas. As bolsas de couro ficaram mais raras e cada vez mais desejadas, porém as mais comuns eram feitas artesanalmente e de tecido.

Nas décadas de 50 e 60 florescem movimentos feministas. As mulheres se tornam mais práticas e, com o objetivo de deixá-las com as mãos livres, surgem as bolsas de couro de ombro. Já a bolsa de couro transversal, muito prática, ganhou as ruas após ser muita usada por aeromoças.

Agora que você já conhece mais sobre a história da bolsa feminina, que tal saber mais sobre as peças que estão com tudo nessa estação?

Confira as tendências para 2017.

POSTS RELACIONADOS

  • 5 destinos turísticos para o dia das crianças que os pequenos vão adorar!

    leia mais
  • viagem e saúde mental

    Viagem e Saúde Mental: como viajar pode ajudar seu cérebro?

    leia mais
  • extravio-de-bagagem

    Seguro bagagem: como contratar e o que fazer no caso de extravio da sua mala!

    leia mais