CATEGORIAS

A história da bolsa feminina

Toda mulher independente da classe econômica, idade, região que mora ou profissão que exerce, possui uma bolsa feminina. Porém, grande parte dessas mulheres, não faz ideia de como surgiu esse objeto tão desejado. Por isso, hoje vamos contar um pouco mais sobre a história da bolsa feminina.

bolsa de couro ombro
Antes da típica bolsa de couro de ombro, há versões que datam desde a pré-história.

É comum sair pelas ruas e encontrar muitas mulheres com uma bolsa no ombro. A história desse acessório tão comum, remete à pré-história. Afinal, foi a solução que os povos nômades encontraram para se deslocar com suas comidas. Há também gravuras em pirâmides egípcias, que mostram pessoas levando sacos amarrados à cintura.

Antes da típica bolsa de couro de ombro, há versões que datam desde a pré-história. A famosa crença que a bolsa feminina carrega segredos, vem da antiguidade. Já que as feiticeiras de algumas tribos africanas usavam suas bolsas para carregar seus poderes sobrenaturais.  Os poderes contidos nas bolsas eram tão poderosos que ninguém ousava abrir a bolsa de uma feiticeira.

Durante a Idade Média, as bolsas eram utilizadas por homens e mulheres para carregar seus pertences. Entretanto, naquele tempo, era comum que houvesse uma diferenciação pelo tamanho e os ornamentos contidos nas bolsas. A bolsa do homem era maior e feita de couro, também tinha modelos menores, estilo pochete e os sacos feitos de tecido cru que ficavam pendurados até o joelho.

Aliás, por muitos anos as bolsas eram usadas amarradas à cintura e eram conhecidas como bolsos. Os “bolsos” passaram a ser confeccionados de couro e ganham importância, inclusive eram passados entre as gerações pode meio de testamentos. Assim, desde a Idade Média a mulher já tinha a necessidade de guardar uma gama grande de objetos e as bolsas penduradas na cintura não eram esteticamente femininas.

O surgimento da primeira bolsa feminina

Então, no século XIX aconteceram muitas inovações no quesito bolsas. Primeiramente, a princesa Alexandra popularizou o uso das chatelaines. Pequenas, delicadas e com motivos medievais, tiveram um forte impacto na moda.

Depois surgiu um novo estilo de bolsa feminina a Retícule. Essa era uma bolsa desenvolvida para as mulheres. Portanto, cada classe social possuía um estilo de bolsa determinada. Dessa forma, o termo Retícule passou a designar as bolsas femininas da época. Diferentemente da bolsa de couro atual, eram feitas de um tecido similar a uma rede e assim como as chatelaines, eram pequenas. Portanto, serviam para transportar objetos com cartões de visitas, leque e lenços.

É também neste período que surge o termo em inglês “handbag”, ou “bolsa de mão”, usado até hoje. Com a popularização das viagens e o aumento do conforto dos transportes, novas versões em miniatura dos baús de viagem da época, surgiram. Aliás, o modelo era similar à bolsa de couro de ombro dos dias de hoje: tinham vários bolsos, vinham com fechadura, chaves e incluía um compartimento especial para guardar a passagem.

O avanço da bolsa feminina na primeira metade do século XX
Ao longo do século XX, o design das bolsas adaptou-se às mudanças na cultura e no papel feminino na sociedade. Nos anos 20 as bolsas já não precisam mais combinar com os trajes, o estilo mais usado era a bolsa carteiro feminina. Mas a versão da bolsa revestida de brilho, era apenas para guardar a maquiagem.

Portanto, o crash da bolsa de Nova Iorque em 1929, afetou fortemente os modelos de bolsas disponíveis na década de 1930. As mulheres precisaram se reinventar e buscar outros materiais além do couro para fabricar suas bolsas. Assim, adotaram materiais baratos como o plástico, para criar artesanalmente suas bolsas.

Contudo, na década de 40, com a falta de algumas matérias-primas após Segunda Guerra Mundial, a indústria teve que usar a criatividade na fabricação de bolsas. As bolsas de couro ficaram mais raras e cada vez mais desejadas, porém as mais comuns eram feitas artesanalmente e de tecido.

Nessa época também inventaram o zíper, que passou a integrar as bolsas femininas. Em 1941 a Lelong lançou a bolsa de madeira, que ganham muita popularidade na época.

A década de 50 foi importante para o avanço da bolsa feminina, nessa época surgiu a marca Louis Vuitton, Hermes e Chanel, que foi a primeira marca a criar a bolsa tiracolo feminina. A marca criou essa bolsa para permitir que as mulheres ficassem com suas mãos livres, Hermes também lançou a famosa bolsa Kelly.

A bolsa feminina ganhou novos materiais, estilos, cores e tamanhos nessa década, se tornando um acessório versátil. Ainda nessa época surgiram as bolsas em formato de caixa sugiram e bracelete. A famosa Chanel, lançou a bolsa de couro em matelassê com alças de corrente em 1955.

Bolsas de Couro

O avanço a partir dos anos 60

Uma das bolsas mais luxuosas teve seu lançamento em 1965, a bolsa Jakie O. da Gucci, depois do lançamento houve uma corrida frenética pelo modelo. Aliás, na década de 60 a Speedy da Loius Vuitton, teve seu lançamento. Inicialmente, o modelo era uma mala de viagem, mas depois ganhou outras versões. Aliás, o modelo mais vendido a Speedy 25, nasceu em 1965 após a atriz Audrey Hepburn encomendar o modelo.

Nos anos 70 os estilos se misturaram e a bolsa feminina ganhou muitas variedades. Os movimentos, hippie, liberty, new romantic, entre vários outros, trouxeram novos estilos ao acessório.

Já nos anos 80, as bolsas femininas ganharam ainda mais contraste, misturando elementos do passado, ideias nostálgicas e a cultura das tribos urbanas. Assim, as bolsas sacolas ganharam as ruas, as mochilas de nylon entraram em cena e a pochete virou moda.

O estilo minimalista influenciou os modelos de bolsa feminina, elas passaram a ter compartimentos, como porta celulares, chaves, entre outros. Em 1995 mais um clássico surge, a Lady Dior, lançada por Christian Dior.

Se você está em busca de um modelo novo de bolsa, acesse aqui para comprar bolsa feminina, ou se preferir, só de aquela espiadinha.

Leia também:
>>>
Por que bolsas de couro nunca saem de moda?

Modelos de bolsas femininas mais usadas

imagem de duas bolsas de couro

Atualmente existe uma grande infinidade de modelos de bolsas, o modelo de bolsa pequena feminina é a mais usada no dia a dia. Entretanto, existem alguns modelos que são os queridinhos, confira:

1 – Bolsa mochila: mais informal, esse modelo é ideal para quem precisa carregar várias coisas, ótimo para faculdade e passeios mais casuais.

2 – Bolsa carteiro: ótimo para quem precisa carregar peso, esse modelo de bolsa grande feminina pode ser usado de forma transversal, seu estilo é despojado e informal.

3 – Bolsa saco: o nome vem do seu formato, possui bastante espaço interno e combina com vários modelos de looks.

4 – Bolsa baú: o modelo criado nos anos 60, ainda é muito usado, além de ser uma opção para combinar com looks formais.

5 – Bolsa com correntes: esse modelo de bolsa transversal é excelente para deixar as mãos livres. Mas esse modelo é para ocasiões que são necessários poucos objetos. Aliás, esse modelo é considerado o modelo favorito de bolsa para balada.

6 – Bolsa Boho: essa é um maior que os outros modelos, sua principal característica é o formato meia-lua.

7 – Bolsa feminina shopper ou tote: ela também pode ser conhecida como bag, ela pode ser estruturada ou de tecido, muito usada durante as compras.

8 – Clutch de festa: ideal para eventos formais e elegantes, possui bordados e aplicações, tem o tamanho de uma carteira, por isso só leva o básico.

9 – Bolsa envelope: tem formato retangular e possui uma aba frontal que lembra um triangulo e seu fechamento é por meio de ímã. Aliás, muito prática e estilosa, é ótima para eventos formais em que é necessário carregar mais objetos.

10 – Bolsa executiva: o modelo mais versátil e queridinho. É uma bolsa grande e estruturada e possui duas alças, possui tons sóbrios e poucos detalhes.

As bolsas femininas mais caras do mundo.

Com o passar dos anos as bolsas deixaram de ser apenas um acessório feminino e se tornou um item de coleção. Porém, a bolsa feminina de couro ainda é muito usada.

Portanto, confira o top 10 das bolsas mais caras do mundo.

10 – Prada: as bolsas da marca se tornou um ícone dos anos 80 e de lá para cá, ela se tornou uma marca de luxo e é produzida com materiais de mais alto nível.

9 – Fendi: a queridinha da marca é a Fendi Selleri é feita de couro de chinchila e ziberlina, ela custa alto em torno de R$ 115 mil.

8 – Hilde Palladino: o modelo de destaque da marca é a Gadino Limeted Editiona Bag, que custa a bagatela de R$ 160 mil.

7 – Marc Jocobs: a mais cara da grife é a Carolyn Crocodile Handbag que é confeccionada de pele de crocodilo roxo e custa R$ 205 mil.

6- Judith Leider: a grife é conhecida por design diferentes, a Leiber Precious Rose é vendida por cerca de R$ 368 mil.

5 – Lana Marks: uma marca de alto nível, qualidade e luxo. A Lana Marks Cleopatra Clutch, possui 1.500 diamantes, detalhes em ouro branco e seu valor é superior a R$ 400 mil.

4 – Hermés: a marca de luxo, só trabalha com produtos artesanais e com material premium. A Bolsa Hermés Birkin é a mais cara da marca, custa perto de R$ 1 milhão.

3 – Louis Vuitton: os modelos da marca podem chegar a custar mais e R$ 900 mil.

2 – Chanel: a mais desejada da marca a Chanel Diamond Forever custa acima de R$ 1 milhão.

1 – Mouawad: é uma marca de luxo da Suíça e Emirados Árabes e a mais desejada a 1001 Nights Diamond Purse, custa apenas R$ 12 milhões.

Leia também:
>>>
3 modelos de bolsas de couro para usar na balada
>>> Como limpar bolsa de couro manchada de caneta?

POSTS RELACIONADOS

  • europa central

    Europa Central: dicas de viagem

    leia mais
  • Milão

    Milão: locais imperdíveis e informações úteis para viajantes!

    leia mais
  • Amigo secreto

    5 Dicas de presente para o Amigo Secreto

    leia mais
Open chat
Estamos online!